Hiroshima Meu Amor, obra-prima de Alain Resnais, em versão restaurada, é o próximo lançamento do Clássica



Em 1959, na cidade de Hiroshima, o acaso faz com que o caminho de um arquiteto japonês (Eiji Okada) se cruze com o de uma atriz francesa (Emmanuelle Riva), que está no Japão em um trabalho que tem, como tema, a paz. Apesar de ambos serem casados, envolvem-se romanticamente e, mais do que isso, tornam-se confidentes. Em seu primeiro longa de ficção, Alain Resnais explora a memória de ambos enquanto aguardam o momento em que ela deverá voltar à França.

Clássico absoluto do cinema francês e ícone da Nouvelle Vague, “Hiroshima Meu Amor” foi indicado à Palma de Ouro em Cannes e recebeu, do Sindicato Francês dos Críticos de Cinema, o prêmio de melhor filme em 1959. Primeiro longa protagonizado por Emanuelle Riva (24/2/1927 – 27/1/2017), chega às telas brasileiras em versão restaurada pouco mais de um mês após a morte da estrela francesa. O Clássica leva a obra-prima de Alain Resnais aos cinemas brasileiros, em 2 de março.

No primeiro ciclo do Clássica (2015/2016) foram exibidas cópias restauradas de longas do sueco Ingmar Bergman – “O Sétimo Selo” (1957) e “Morangos Silvestres” (1957) -, do italiano “Federico Fellini”, duas de suas obras-primas: “A Doce Vida” (1960) e “8½” (1963), de Pier Paolo Pasolini, ‘Mamma Roma” (1962); e do diretor alemão Werner Herzog, “Nosferatu - O Vampiro da Noite” (1979) e “Fitzcarraldo (1982)”. “Hiroshima Meu Amor” (1959), de Alain Resnais encerra esta segunda fase (2016/2017), que já levou aos cinemas "Estranhos no Paraíso" (1984), de Jim Jarmusch,  "Blow Up" (1966), de Michelangelo Antonioni e “O Homem que Caiu na Terra” (1976), de Nicolas Roeg.


Hiroshima, Meu Amor (DCP, França/Japão, 1959, 90min.)
Direção: Alain Resnais
Roteiro: Marguerite Duras
Direção de fotografia: Michio Takahashi, Sacha Vierny
Montagem: Jasmine Chasney, Henri Colpi, Anne Sarraute
Música: Georges Delerue, Giovanni Fusco

Produção: Samy Halfon, Anatole Dauman
Elenco: Emmanuelle Riva, Eiji Okada, Bernard Fresson


Buffy: A Caça-Vampiros completa 20 anos em 2017



No dia 10 de março de 2017, a série “Buffy: A Caça-Vampiros“ completa exatamente 20 anos de estreia. A produção durou sete temporadas e exibiu o último episódio em 2003. Criado por Joss Whedon, o mesmo de “Agents of SHIELD", a atração se tornou um grande sucesso ao mostrar a vida da jovem Buffy Summers, a mais recente numa linha de mulheres conhecidas como Caçadoras.

A história acompanhava a protagonista Buffy, papel de Sarah Michelle Gellar, uma adolescente de 15 anos que descobre ter poderes e tem a missão de lutar contra as forças do mal. Além disso, ela precisa lidar com problemas do dia a dia como qualquer garota normal de sua idade.

O sucesso série foi tanto que  acabou gerando um spin-off para o par romântico de Buffy, o vampiro Angel (David Boreanaz), lançado em 1999.

Buffy: A Caça-Vampiros era exibida pelo canal a cabo Fox , e durante curto tempo pela TV Globo.

Cine Joia começa a exibir curtas metragens nacionais antes de todas as sessões da grade semanal





O Cine Joia Copacabana começa a exibir a partir dessa próxima quinta-feira (23.02) curtas metragens de diversos diretores brasileiros  antes dos longas metragens. Com curadoria da equipe de Programação do Cine Joia, ganhadora de prêmios e reconhecida pelo público cinéfilo como uma das melhores da cidade, o projeto quer dar uma nova luz à grandes obras que nunca foram aproveitadas pelo circuito exibidor brasileiro. A Equipe do Joia acredita que essa chance de exibição irá abrir portas para esses talentosos cineastas e assim também desenvolver o cinema nacional no circuito exibidor carioca. 

Toda semana um novo curta entrará na grade semanal. O primeiro curta metragem escolhido é ‘Lá do Alto’ de Luciano Vidigal que conta a linda história de um menino sonhador que tenta convencer seu pai a levá-lo ao alto de uma pedra, na favela do Vidigal. Ali, perto do céu, ele acredita que poderá se comunicar com a avó, de quem sente saudades. 



Programação de Curtas já fechadas:


23 de Fevereiro a 01 de Março:

'Lá do Alto’

Sinopse: Um menino sonhador tenta convencer seu pai a levá-lo ao alto de uma pedra, na favela do Vidigal. Ali, perto do céu, ele acredita que poderá se comunicar com a avó, de quem sente saudades.

Diretor: Luciano Vidigal

Roteiro: Luciano Vidigal

Trilha Sonora: Fernando Aranha

Duração: 8 minutos


02 a 08 de Março:

‘Dia de Índio’


Direção e Produção: Ludmila Curi

Duração: 5 minutos

Sinopse: Um curta viagem ao Universo dos índios Ingarikós. 


09 a 15 de Março:

Duas, Uma’

Direção: Luciana Ponso e Cavi Borges

Duração: 7 minutos

Sinopse: Uma visão sobre a Vida e o contato com a natureza.


16 a 22 de Março:

‘Eu Sou um Samba’

Direção e roteiro: Raoni Seixas

Duração: 10 minutos

Sinopse: A desilusão de um menino nas Ruas do RJ e o encontro com o Samba.


23 a 29 de Março:

Ateliê de Gaia’

Direção e roteiro: Júlio Pecly

Duração: 5 minutos

Sinopse: Criatividade encontrada em uma comunidade.



Serviço:



Local: Cine Joia Copacabana

Endereço: Avenida Nossa Senhora de Copacabana 680 - Subsolo

Telefone: (21) 22365624

Horários: Consultar programação semanal do cinema

Ingressos: R$ 24,00 (inteira) e R$ 12,00 (meia), sendo que segundas e terças todos pagam meia entrada. 

Lotação: 87 lugares

Bilheteria: de Segunda a Domingo, das 12:30h às 22h

Classificação Indicativa: Consultar programação semanal do cinema


Http://www.facebook.com/cinejoiacopa

A Cabana | Adaptação do best-seller ganha primeiro trailer oficial


A Lionsgate divulgou o primeiro comercial oficial do longa ‘A Cabana‘ (The Shack), baseado no best-seller homônimo do escritor canadense William P. Young.
Dirigido por Stuart Hazeldine, roteirista de ‘Exame‘, o filme apresenta a história de Mack Phillips (Sam Worthington), um homem que viveu um drama pessoal com o desaparecimento de sua filha Missy, de seis anos.

Trailer


Fonte: Cine Pop

Big Little Lies | Nova série da HBO estrelado por Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley



No dia 19 de fevereiro, chega à HBO a série de suspense Big Little Lies, que tem no elenco grandes nomes do cinema, como Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley. 

A trama é uma adaptação do livro homônimo, da autora Liane Moriarty e conta a história de três mães de uma pequena cidade americana que são envolvidas em um assassinato. Através de depoimentos dos habitantes, a narrativa descreve os principais acontecimentos até o dia do crime. Reese interpreta Madeline Mackenzie, uma mulher que intimida todas as pessoas com quem convive. Kidman vive Celeste Wright, uma ex-advogada, dedicada à família e que precisa lidar com a agressividade de seu companheiro. A rotina das duas mudam quando Jane (Shailene Woodley) decide morar na cidade, e percebem que a jovem possui um segredo em seu passado.

Big Little Lies retrata a vida de mulheres que optaram por viver em função de seus filhos e seus maridos. Mais do que isso: mostra como a aparência e o status contribuem para preencher o vazio de um cotidiano maçante. Tudo isso agregado à boa atuação de Kidman e Witherspoon, que comprova que a participação de grandes estrelas de Hollywood contribui – cada vez mais – para a qualidade dos programas televisivos.

Fonte: Site Pop Séries

Trailer






Crítica | Cinquenta Tons Mais Escuros é fiel ao livro com cenas mais ousadas


Quando a trilogia "Cinquenta Tons de Cinza", da autora E.L. James chegou há mais ou menos seis anos, conquistou milhões de leitores mundo a fora com o romance mais sedutor dos últimos tempos. A história de um homem misterioso, com passado sombrio, milionário, sadomasoquista, que se apaixona por uma menina humilde de 21 anos, tímida, virgem e estudante de literatura, foi ingrediente perfeito para despertar o sonho romântico e sexual mais profundo de quase todas as mulheres. De lá pra cá, houve grande expectativa quanto a produção do filme, tanto a escolha dos atores quanto a direção, e principalmente se a adaptação iria funcionar ou não.

Pois bem, o filme "Cinquenta Tons de Cinza" foi lançado em 2015, e alavancou a carreira dos protagonistas Dakota Johnson (Anastasia Steele) e Jamie Dornan (Christian Grey). Com direção de Sam Taylor-Johnson, o filme não atingiu o mesmo nível do livro, e os fãs o consideraram fraco demais, motivo que fez a diretora desistir do cargo, deixando a vaga para James Foley. Enquanto Dakota era elogiada, Dornan foi duramente criticado (e com razão!) pela falta de expressão ao atuar.



Finalmente chegou a hora de conferir "Cinquenta Tons Mais Escuros" nas telonas, considerado o melhor livro da trilogia, com mais ação, personagens, suspense e muito mais sexo. O longa segue fiel ao livro, as cenas mais quentes estão bem feitas todas com trilha sonora, nada vulgar. 

A continuação dá uma reviravolta no romance de Grey e Anastasia. Depois de terminarem o namoro, Christian procura Ana, e aceita as exigências da moça: nada de espancamento e sem segredos entre os dois. Cada um vai se adequando aos seus limites, e Grey começa a demonstrar seus traumas de infância. Leila (Bella Heathcote), a antiga "submissa" de Grey, obcecada por ele, surge para perseguir e atormentar a vida do casal. Ana também precisa lidar com as investidas do seu chefe, Jack Hyde, que vira uma ameaça para Grey. E, Elena Lincoln, a "dominadora" de Christian no passado, principal responsável por seus traumas, aparece na história causando ciúmes e raiva em Ana.

Diferença entre Cinquenta Tons de Cinza, de Sam Taylor-Johnson e Cinquenta Tons Mais Escuros, de James Foley.

No primeiro, Dakota Johnson estava melhor, neste ela parecia a Bella Swan, com cara de boba e voz sussurrante do começo ao fim. Já, Jamie Dornan que antes era inexpressivo, surpreendeu com excelente atuação, apesar de não parecer fisicamente com o Grey do livro, ele conseguiu conquistar os fãs. Por incrível que pareça, gostei mais da trilha sonora do primeiro, as músicas tinham mais o estilo sexy do filme. Neste último, achei um pouco sem graça, e a principal "I don't wanna live forever"  é tão fraca, que nem se compara a Crazy in Love de Beyonce  e Love Me Like You do, de Ellie Goulding.



Pontos negativos:
A atriz Kim Basinger, que interpreta Mrs. Robinson foi mal aproveitada, Ela parecia perdida na personagem, e não convenceu. O ator Eric Johnson está ótimo no papel de Jack Hyde, o chefe (que dá em cima) de Anastasia, porém, ele é bonitão, diferente das características do personagem do livro, que aparenta ser um velho babão. As cenas que eram pra ter bastante emoção deixaram a desejar, porque ao invés de emocionar, provocaram risos na plateia.

Conclusão:
Cinquenta Tons Mais Escuros está um pouco acima da média do primeiro, por ter mais ação e suspense. Quem leu o livro e amou vai perceber que está bem parecido, mas por se tratar de uma adaptação, nem sempre é perfeito, mas vale a pena conferir!

Observação importante: Há cenas pós créditos, não saiam logo do cinema!

Cinquenta Tons Mais Escuros está em cartaz  nos cinemas.

Ficha Técnica
Direção: James Foley
Roteiro: E.L. James, Niall Leonard
Elenco: Dakota Johnson, Jamie Dornan, Luke Grimes, Rita Ora, Victor Rasuk, Kim Basinger
Produção: Dana Brunetti, E.L. James, Michael De Luca
Fotografia: John Schwartzman
Montador: Richard Francis-Bruce
Trilha Sonora: Danny Elfman
Duração: 115 min.
Ano: 2017
País: Estados Unidos

Trailer



Stranger Things | Netflix divulga o primeiro teaser da segunda temporada



O primeiro vídeo teaser da segunda temporada de Stranger Things foi divulgado durante a transmissão do Super Bowl. A nova temporada estreia em outubro de 2017 na Netflix, e acredita-se que talvez seja no dia 27 do mesmo mês. Ainda não se sabe o número de episódios.

Muita novidade vem por aí:

A história irá se passar no ano de 1984 - o teaser mostra as crianças diante da escola de Hawkins, vestindo uniformes dos Caça-Fantasmas, filme lançado na década de 80.

Eleven (Millie Bobby Brown) estará de volta. E o ator Sean Astin (Sam de O Senhor dos Anéis) será Bob Newby, namorado de Joyce e funcionário da Radio Shack.


Trailer