Filme 'A Chegada' abre a 18ª edição do Festival do Rio

O filme "A Chegada" (Arrival), do consagrado diretor Denis Villeneuve, abre sua 18ª edição do Festival do Rio, no próximo dia 6 de outubro, às 20h30, na Cidade das Artes.

Um dos mais aguardados da temporada, o filme terá exibição única no Festival do Rio e pela primeira vez a noite de abertura conta com a participação do público, disponibilizando 200 lugares para venda.

Recentemente nas listas dos melhores nos festivais de Toronto e Veneza, "A Chegada" conta com elenco de peso: Amy Adams, Jeremy Renner e Forest Whitaker.


Sinopse:
Quando misteriosas naves espaciais aterrissam em todo o mundo, uma equipe de elite - liderada pela linguista Louise Banks - é reunida para investigar. Enquanto a humanidade hesita à beira de uma guerra mundial, Banks e sua equipe correm contra o tempo em busca de respostas - e para encontrá-las, ela terá de se arriscar pondo em perigo a própria vida e, muito possivelmente, a do resto da humanidade. 

Trailer:





Abertura Festival do Rio
quinta, 6 de outubro, 20h30
Cidade das Artes
Av. das Américas, 5300 - Barra da Tijuca
ingressos: R$50,00 (inteira) / R$25,00
para comprar: www.cidadedasartes.org

www.festivaldorio.com.br



Warner Bros. divulga trailer final de 'Animais Fantásticos e Onde Habitam'




A Warner Bros. divulgou o trailer final do filme "Animais Fantásticos e Onde Habitam". O vídeo mostra algumas criaturas mágicas que devem aparecer no filme. Inspirado no livro homônimo de J.K. Rowlling, a adaptação é ambientada no mesmo universo de Harry Potter. Eddie Redmayne interpreta o zoologista Newt Scamander,  um especialista em animais mágicos. Os atores Colin Farrell e Ezra Miller serão os vilões. Estreia no dia 17 de novembro. 

Trailer





Westworld | Nova série da HBO estrelada por Rodrigo Santoro

No dia 02 de outubro, às 23h, o canal HBO exibe a sua nova série "Westworld". A trama se passa em um parque temático futurista para adultos e habitado por robôs, onde os visitantes podem ser o que sempre desejaram, e ter as experiências que nunca confessaram. Porém, as coisas mudam quando os robôs sofrem uma pane no sistema e passam a ser uma grande ameaça aos turistas.

Após o sucesso no filme Ben-Hur, Rodrigo Santoro é uma das estrelas que integram o elenco da série. O ator viverá um personagem misterioso chamado Hector Escaton. Além dele, também estão no elenco, Anthony Hopkins, Miranda Otto, Ed Harris, Evan Rachel Wood, Thandie Newton e Tessa Thompson.

Com dez episódios de uma hora de duração, a série será exibida à meia noite, a partir do dia 06 de novembro. A produção está por conta de Jonathan Nolan e Lisa Joy com colaboração de J.J. Abrams. 

Trailer





Cineclube Curta Cinema exibe curtas sobre deficiência e acessibilidade


O Cineclube Curta Cinema chega à sua terceira edição na quinta-feira, 29 de setembro, com o tema “Inclusão na tela”, com a curadoria de Lara Pozzobon e Gustavo Acioli, diretores do Festival Assim Vivemos – festival internacional de filmes sobre deficiência - que, em 2017, comemora 15 anos, tendo se consolidado como referência nacional e internacional sobre o tema. A programação começa às 19h30m, seguida de debate com os realizadores Paulo Halm, diretor de “O Resto é Silêncio”; Anna Azevedo, diretora de “Dreznica” e Simone Machado Lima, diretora e produtora de “Estrangeiros”, e do curador e mediador Gustavo Acioli. A entrada é gratuita, sujeita à lotação.

O projeto é uma iniciativa do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro em parceria com o Oi Futuro, e patrocínio da Oi, Petrobras, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, e pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretária Municipal de Cultura e RioFilme.

Responsável pela curadoria desta edição do Cineclube, Gustavo Acioli avalia que o público terá oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a deficiência, a partir da ótica da inclusão. Ele acredita que, por serem diferentes entre si, os curtas tem uma excelência no uso da linguagem.

Autor da novela “Totalmente Demais”, da Rede Globo, junto com Rosane Svartman, Halm é diretor e roteirista de “O resto é Silêncio”. Ele conta que os jovens e seu rito de passagem para a vida adulta, com suas descobertas, desafios, perdas e ganhos, sempre foram tema de seu interesse. Ao resolver abordar o tema, optou por personagens surdos, jovens que já conhecia por  morar perto do Instituto Nacional de Educação de Surdos, no Rio. Assim, o curta foi interpretado por jovens surdos e falado em libras (com legendas). Na sua concepção, quase um filme mudo e que pudesse ser assistido tanto por surdos quanto por não surdos, onde ambos espectadores experimentassem as mesmas sensações.

- “O Resto é Silencio” se tornou um filme emblemático da questão da superação das diferenças, não só para os portadores de deficiência auditiva, mas para o grande conjunto das pessoas com necessidades especiais. Ao mesmo tempo, é um filme divertido, poético, que agrada a todos os públicos – diz o diretor Paulo Halm. - Acho que fui bem-sucedido porque “O Resto é Silencio” é meu filme mais premiado, no Brasil e no exterior.

As exibições do Cineclube acontecem uma vez por mês, desde julho, onde a proposta foi discutir o feminismo e questões raciais, seguido de política tendo o cinema como instrumento. Já na edição de setembro a inclusão entra em cena, levando o público a debater, principalmente sobre acessibilidade.



Programação:

O Resto é Silêncio - de Paulo Halm. 22 min. RJ. 2003.

Totalmente interpretado por adolescentes surdos, o filme conta o encontro de Lucas, um rapaz solitário. Ao conhecer Clara, a nova colega do colégio para deficientes auditivos, ele descobre que existem muitos outros meios de entender os sons que o mundo possui e isso muda aos poucos a sua vida.

Dreznica - de Anna Azevedo. 14 min. RJ. 2008.

Dreznica é o lugar onde a neve encontra o mar. Um filme construído com arquivos de Super 8. Uma lírica jornada através das imagens e sensações reveladas pela memória e pelos sonhos de pessoas que não enxergam.

Estrangeiros - de Sonia Machado Lima. 20 min. RJ. 2011.

A fala tem poder e muitas vezes se impõe como forma superior de comunicação, forçando pessoas surdas a aprenderem a repetir sons que não conseguem ouvir. É um esforço tremendo – e desgastante. Até que, muitas vezes chega o momento em que o surdo descobre que foi inútil o tempo que tentou aprender algo que simplesmente não lhe servia.





Serviço:

Cineclube Curta Cinema – Inclusão na Tela

Data: Quinta-feira, dia 29 de setembro.

Horário: 19h30m

Local: Oi Futuro Ipanema - Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema, Rio de Janeiro

Exibição seguida de debate. Senhas serão distribuídas com 30 minutos de antecedência

Capacidade: 92 lugares

Classificação indicativa: 10 anos



Crítica | Pequeno Segredo tem uma bonita história mas exagera no melodrama

Até pouco tempo desconhecido, o longa "Pequeno Segredo" vem causando polêmica, desde quando foi indicado pelo MinC para representar o Brasil no Oscar 2017. Isso porque, o filme "Aquarius" - lançado no Festival de Cannes e aclamado pela crítica - era o favorito para tentar uma vaga ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

A obra baseada no livro "Pequeno Segredo – A lição de vida de Kat para a família Schurmann", é dirigida por David Schurmann - filho do casal Vilfredo e Heloísa Schurmann - que conta a história de sua família, famosa por velejar ao redor do mundo. A trama que se passa paralelamente no passado e futuro, mostra a vida da pequena Kat Schurmann, portadora do vírus HIV, e filha do casal Robert e Jeanne - um neozelandês e uma amazonense - que, depois da morte dos pais, é adotada por Vilfredo e Heloísa Schurmann. A história retrata esse tema ainda delicado, numa época (anos 90) em que o tratamento era precário e a doença ainda era um tabu na sociedade. Kat vivia uma vida normal como qualquer pré-adolescente, estudava, praticava esporte, tinha amigas e um amor não correspondido.

Devido ao medo do preconceito, seus pais adotivos mantiveram em segredo o HIV da filha. Ela tomava muitos remédios, pois acreditava ter hepatite. Chega um determinado momento, que Heloísa precisa ser abrir com a filha e contar a verdade. Nascida na Nova Zelândia, em 1992, a menina era soropositiva e morreu em 2006, em decorrência de complicações da Aids

A história é cativante ao tentar mostrar a forma de amor entre a família, mas exagerou no tom dramático. Os personagens são estereotipados, o diálogo é superficial e rasteiro, parece uma novela mexicana e, algumas cenas querem forçar lágrimas no público. Nada natural do começo ao fim. Talvez seja esse o motivo do diretor achar que o longa tem "cara de Oscar"?

Esse exagero fica claramente evidente na personagem Bárbara, que vive a avó preconceituosa biológica de Kat, interpretada pela atriz irlandesa Fionulla Flanagan. Em cena, ela compara Heloisa , uma mulher branca, e a nora Jeanne, uma morena, e diz: "Claramente, vocês não são da mesma tribo". Pequeno segredo é um filme previsível, que quer atingir o espectador pelo drama apelativo, mas nem por isso, deixa de ser um bom filme.  A obra é capaz de conquistar um grande público que aprecia história familiar e de superação.

O elenco conta com Marcello Antony (Vilfredo), Julia Lemmertz (Heloísa), Erroll Shand (Robert), Maria Flor (Jeanne), Fionulla Flanagan (Bárbara) e Mariana Goulart (Kat). Todo o elenco funciona bem, porém o personagem de Antony foi pouco explorado, parecendo um figurante e superficial com tantos diálogos em inglês. 

David Schurmann, que antes dirigiu o terror "Desaparecidos" e o documentário “O Mundo em duas voltas”, de 2007, ganhador de seis prêmios, no Festival de Recife, decidiu que sua história familiar tinha que ser levada ao mundo também através do cinema, por seu poder de inspirar as pessoas.  

"Pequeno Segredo", ainda não foi exibido em circuito comercial. Para ser elegível ao Oscar, o filme deve ser lançado antes de 30 de setembro. Por isso, teve um lançamento restrito em algumas praças, para cumprir as regras do Oscar. A estreia nacional está marcada para o dia 10 de novembro.

Ficha Técnica

Título: Pequeno Segredo 
Dirigido por: David Schurmann
Elenco: Erroll Shand,Fionnula Flanagan, Júlia Lemmertz, Marcello Antony, Maria Flor, Mariana Goulart
Gênero: Drama
País: Brasil
Ano produção: 2016


Trailer



'Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1' estreia no Megapix

Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 será exibido pela primeira vez na TV no Megapix no dia 23 de setembro, às 22h30. A produção também poderá ser vista a qualquer momento, a partir do dia 26, no Megapix Play. Segundo filme da trilogia baseada nos romances de Suzanne Collins, a saga continua a história de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence).

Depois de fugir do Massacre Quaternário, Katniss Everdeen volta ao agora decadente 13º Distrito, onde passa a viver ao lado da mãe (Paula Malcomson) e da irmã, Prim (Willow Shields). Chegando lá, ela se torna a única esperança para unir os outros distritos na revolução rebelde contra a Capital.


Sessão Megapix 
Estreia sexta-feira, dia 23, às 22h30.
Reprise domingo, dia 25, às 19h45.

Moana | Imagens e trailer da nova animação da Disney


A Disney divulgou novas imagens e trailer de “Moana: Um Mar de Aventuras”. Na história,  Moana faz parte de uma família de navegadores, e também é filha do chefe da tribo em vive no Pacífico Sul. Para entender melhor seu passado, a jovem parte em busca de seus ancestrais, habitantes de uma ilha mítica e desconhecida. Durante sua viagem, Moana conhece o lendário semideus Maui, capaz de assumir diferentes formas. Juntos, eles partem para sua jornada em mar aberto, onde enfrentam terríveis criaturas marinhas e descobrem histórias sobre os antepassados. Ao longo de suas aventuras, a jovem também descobre ter um relacionamento especial com o oceano.




Maui e Moana são dublados, respectivamente, pelo astro Dwayne Johnson.  O elenco conta também com Jemaine Clement, Rachel House, Temuera Morrison, Alan Tudyk e Nicole Scherzinger.


“Moana” tem previsão de estreia para 5 de janeiro de 2017.

Trailer